32ª Semana do Tempo Comum – Quinta-feira

Escrito em 14/11/2019
imprensa

Primeira Leitura: Sabedoria 7,22-8,1

Leitura do livro da Sabedoria – Na sabedoria há um espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, perspicaz, imaculado, lúcido, invulnerável, amante do bem, penetrante, desimpedido, benfazejo, amigo dos homens, constante, seguro, sem inquietação, que tudo pode, que tudo supervisiona, que penetra todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais sutis. Pois a sabedoria é mais ágil que qualquer movimento e atravessa e penetra tudo por causa da sua pureza. Ela é um sopro do poder de Deus, uma emanação pura da glória do Todo-Poderoso; por isso, nada de impuro pode introduzir-se nela: ela é um reflexo da luz eterna, espelho sem mancha da atividade de Deus e imagem da sua bondade. Sendo única, tudo pode; permanecendo imutável, renova tudo; e, comunicando-se às almas santas de geração em geração, forma os amigos de Deus e os profetas. Pois Deus ama tão somente aquele que vive com a sabedoria. De fato, ela é mais bela que o sol e supera todas as constelações; comparada à luz, ela tem a primazia: pois a luz cede lugar à noite, ao passo que, contra a sabedoria, o mal não prevalece. Ela se estende, com vigor, de uma extremidade à outra da terra e, com suavidade, governa todas as coisas. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

É eterna, ó Senhor, vossa Palavra!

  1. É eterna, ó Senhor, vossa Palavra, / ela é tão firme e estável como o céu. – R.
  2. De geração em geração, vossa verdade / permanece como a terra que firmastes. – R.
  3. Porque mandastes, tudo existe até agora; / todas as coisas, ó Senhor, vos obedecem! – R.
  4. Vossa Palavra, ao revelar-se, me ilumina, / ela dá sabedoria aos pequeninos. – R.
  5. Fazei brilhar vosso semblante ao vosso servo / e ensinai-me vossas leis e mandamentos! – R.
  6. Possa eu viver e para sempre vos louvar; / e que me ajudem, ó Senhor, vossos conselhos! – R.
Evangelho: Lucas 17,20-25

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, os fariseus perguntaram a Jesus sobre o momento em que chegaria o reino de Deus. Jesus respondeu: “O reino de Deus não vem ostensivamente. Nem se poderá dizer: ‘Está aqui’ ou ‘está ali’, porque o reino de Deus está entre vós”. E Jesus disse aos discípulos: “Dias virão em que desejareis ver um só dia do Filho do homem e não podereis ver. As pessoas vos dirão: ‘Ele está ali’ ou ‘ele está aqui’. Não deveis ir nem correr atrás. Pois, como o relâmpago brilha de um lado até o outro do céu, assim também será o Filho do homem no seu dia. Antes, porém, ele deverá sofrer muito e ser rejeitado por esta geração”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Os fariseus imaginavam que o Reino de Deus só chegaria quando todo o povo observasse a Lei em suas mínimas prescrições. Pedem a Jesus uma definição: quando iria chegar esse Reino? Jesus responde que a vinda do Reino não depende de cálculos ou grandes rumores. O Reino de Deus começou na pessoa e na prática de Jesus no meio de seus contemporâneos. O Reino se torna presente e visível sempre que as pessoas praticam a justiça, criando relações de fraternidade. O dia do Filho do Homem (Jesus) é o tempo após sua ressurreição, que será coroado com sua manifestação final. Então, quando ele vier na sua glória, o fato será evidente para todos. Entretanto, “primeiro ele deve sofrer muito e ser rejeitado por esta geração”. A paixão de Jesus será momento crucial e fundamental para o desenvolvimento do Reino.