1º Domingo do Advento

Escrito em 01/12/2019
imprensa

Primeira Leitura: Isaías 2,1-5

Leitura do livro do profeta Isaías – Visão de Isaías, filho de Amós, sobre Judá e Jerusalém. Acontecerá, nos últimos tempos, que o monte da casa do Senhor estará firmemente estabelecido no ponto mais alto das montanhas e dominará as colinas. A ele acorrerão todas as nações, para lá irão numerosos povos e dirão: “Vamos subir ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que ele nos mostre seus caminhos e nos ensine a cumprir seus preceitos”; porque de Sião provém a lei e de Jerusalém, a palavra do Senhor. Ele há de julgar as nações e arguir numerosos povos; estes transformarão suas espadas em arados e suas lanças em foices: não pegarão em armas uns contra os outros e não mais travarão combate. Vinde, todos da casa de Jacó, e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 121(122)

Que alegria quando me disseram: / “Vamos à casa do Senhor!”

1. Que alegria quando ouvi que me disseram: / “Vamos à casa do Senhor” / E agora nossos pés já se detêm, / Jerusalém, em tuas portas. – R.

2. Para lá sobem as tribos de Israel, / as tribos do Senhor. / Para louvar, segundo a lei de Israel, / o nome do Senhor. / A sede da justiça lá está / e o trono de Davi. – R.

3. Rogai que viva em paz Jerusalém / e em segurança os que te amam! / Que a paz habite dentro de teus muros, / tranquilidade em teus palácios! – R.

4. Por amor a meus irmãos e meus amigos, / peço: “A paz esteja em ti!” / Pelo amor que tenho à casa do Senhor, / eu te desejo todo bem! – R.

Segunda Leitura: Romanos 13,11-14

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de despertar. Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós do que quando abraçamos a fé. A noite já vai adiantada, o dia vem chegando: despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz. Procedamos honestamente, como em pleno dia: nada de glutonerias e bebedeiras, nem de orgias sexuais e imoralidades, nem de brigas e rivalidades. Pelo contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Mateus 24,37-44
Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos: “A vinda do Filho do homem será como no tempo de Noé. Pois, nos dias antes do dilúvio, todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. E eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e arrastou a todos. Assim acontecerá também na vinda do Filho do homem. Dois homens estarão trabalhando no campo: um será levado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no moinho: uma será levada e a outra será deixada. Portanto, ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor. Compreendei bem isto: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Por isso, também vós ficai preparados! Porque, na hora em que menos pensais, o Filho do homem virá”. – Palavra da salvação.
Reflexão:

Com este domingo, iniciamos simultaneamente o tempo do Advento e um novo ano litúrgico. O evangelho de hoje usa a linguagem apocalíptica – forma de expressão bastante comum no tempo de Jesus e nos momentos de crises e dificuldades – que pode assustar, se não for bem compreendida, lembrando que o evangelho é sempre uma Boa Notícia, mensagem de alegria e esperança. O texto de hoje repete várias vezes a expressão “vinda do Filho do Homem”. O apelo é para ficar preparados para sua chegada, comparada a três cenas: do dilúvio, dos trabalhadores e do ladrão. Da mesma forma que o dilúvio chegou inesperadamente, chegará a destruição de Jerusalém. Cada trabalhador tem seu momento de deixar este mundo. O ladrão normalmente não anuncia sua chegada. Essas cenas mostram claramente a necessidade de estar sempre alertas, pois muitas e boas oportunidades surgem com frequência e não podem ser desperdiçadas por descuido. Deus vem continuamente com suas graças e suas bênçãos: cabe a cada um abraçá-las e acolhê-las. O amor e a salvação de Deus são para todos, mas a pessoa é livre para aceitá-los ou recusá-los. O importante é viver bem o dia a dia, para não ser surpreendido no fim da vida. O Vaticano II alerta sobre os sinais dos tempos e nos convida a estar sempre atentos ao que acontece no cotidiano.